Brasil Insights

Aumento de preços acima da inflação pesa no bolso do brasileiro

Jacqueline Lafloufa

Editora de conteúdo e insights

Consumo e Negócios 09.01.2017 / 05:00


Kantar
  • SAVE
  • Close

    SHARE THIS WITH FRIENDS

  • EMBED
    Close

Compras regulares caem, enquanto promoções estimulam o consumo

A elevação dos preços acima da inflação em categorias básicas comprometeu o consumo dos brasileiros, fazendo com que as compras regulares caíssem – menos 0,1% em frequência e queda de 0,2% em unidades por viagem - e as promoções ganhassem importância. As conclusões são do Consumer Thermometer, que analisa o mês de novembro de 2016.

De acordo com o estudo, as compras promocionadas tiveram alta de 3,8% em frequência e 1% em unidades por viagem no período. Nesse cenário, a cesta de higiene e beleza seguiu retraindo, enquanto a de bebidas e limpeza consolidou a tendência de reaquecimento.

O Consumer Thermometer apurou ainda que os consumidores voltaram a priorizar as categorias básicas, com destaque para açúcar e café torrado. Diante desse investimento, os brasileiros optaram por investir em categorias menos desenvolvidas (menos de 50% de penetração) – como leite fermentado, torrada e azeite – apenas quando encontraram valores promocionais.

Fonte: Kantar Worldpanel


Nota da Editora

Você pode baixar o Consumer Thermometer referente à novembro de 2016 no link acima. 

Precisa de mais dados ou quer entrevistar nossos especialistas? Entre em contato com a nossa editora.

Para ficar informado sobre novos dados e informações, assine a newsletter ou acompanhe a Kantar no Twitter, no Facebook ou no Linked In.

Últimas Notícias

Com mais de 1,3 milhão de inscritos, Flamengo se torna líder em curtidas no Facebook entre os clubes brasileiros

Minimercados, voltados para compras que visam praticidade, vão ganhar espaço nos próximos anos

Até o momento, Brasil já soma ao menos 71 leões no Festival de Criatividade de Cannes

Confira dados do painel ComTech da Kantar Worldpanel

48% geralmente compram o que não (realmente) precisam, versus 34% dos consumidores hétero

Leia também