Brasil Insights

Páscoa deve ser dos ovos caseiros e dos miniovos industrializados

Karoline Alves

gerente de contas

Consumo e Negócios 07.04.2017 / 17:00

ovos-de-pascoa-ovos-de-chocolate-domingo-de-pascoa

Mesmo com a queda nas vendas, setor oferece opções que podem conquistar os consumidores

Em tempos de economia em crise, presentes e produtos sazonais, como os ovos de Páscoa, perdem relevância e afastam os consumidores das compras.

Mesmo assim, o setor de chocolates encontra alternativas para conquistar novos e velhos compradores, como é o caso dos ovos de chocolate caseiros, que têm custo menor e cujas vendas, em valor e volume, cresceram em 2016.

Por sua vez, os ovos de chocolate industrializados se mantêm como o produto mais procurado na Páscoa e encontram respiro com as linhas de miniovos e com outras opções menores da guloseima.

Segundo o levantamento da Kantar Worldpanel, a venda de ovos de Páscoa em 2016 voltou ao mesmo patamar de 2013, mas, considerando-se o evento completo, que inclui a comercialização de outros tipos e formatos de chocolate atrelados à data, o consumo chegou aos níveis de 2012.

Na comparação entre 2016 e 2015, o valor comercializado de ovos de Páscoa caiu 3,4%, enquanto o volume, em quilos, baixou 7,5%. Houve uma retração de 0,7% no número de compradores, que levaram menos volume (em gramas) por domicílio (-6,9%) e menos unidades nas idas aos pontos de vendas (-16,7%).

A queda é puxada principalmente pelos ovos de chocolate industrializados, uma vez que o segmento perde tanto compradores como o volume, em quilos (-20,3%vs 2015). E a venda do doce voltado às crianças retraiu mais do que aqueles focados nos adultos.

Assim, a importância em volume comercializado, em unidades, de ovos para adultos passou de 67,8% em 2015 para 73,9% no ano passado. Nesse mesmo quesito, a importância de ovos infantis baixou de 32,2% para 26,1%. De acordo com a pesquisa, a queda no segmento de ovos infantis é uma provável reação à subida dos preços, ano após ano, nessa categoria de guloseima.



Kantar
  • SAVE
  • Close

    SHARE THIS WITH FRIENDS

  • EMBED
    Close


Em contrapartida, as chocolaterias e os ovos caseiros conseguiram crescer em 2016 em relação ao ano anterior: as primeiras arrecadaram 25,6% a mais com as vendas e aumentaram em 2,3% o volume (em quilos) comercializado. Os ovos de chocolate artesanais, por sua vez, registraram 21,9% de crescimento no valor vendido e 17,9% no volume. Esse último segmento, na realidade, foi o único a ganhar compradores em 2016: sua taxa de penetração passou de 9,4% na Páscoa de 2015 para12,1% em 2016. A categoria também registrou os menores preços do mercado, além de ter crescido a importância em unidades: passou de 20% para 27,5%, enquanto os ovos industrializados seguiram a direção oposta, caindo de 73,1% em 2015 para 65,3% no ano passado.

Os preços mais altos dos ovos industrializados e mais em conta dos artesanais levaram o consumidor a optar pelos ovos de chocolate industrializados ovos pequenos ou ovos caseiros de tamanho maior. No comparativo entre 2015 e 2016, as linhas de ovos industrializados com peso entre 100 gramas e 150 gramas pularam de 28,4% para 31,8%. Já com os ovos caseiros se deu o contrário. Se em 2015 25,8% compraram o doce com esse mesmo peso, em 2016 esse número baixou para 15,4%. Os compradores de unidades maiores, como os ovos caseiros de 451 gramas a 550 gramas, saltaram de 14,1% para 20,5%.



Kantar
  • SAVE
  • Close

    SHARE THIS WITH FRIENDS

  • EMBED
    Close


Outro dado destacado pela pesquisa é que tanto as chocolaterias como os ovos industrializados alcançam consumidores com perfil premium, com diferentes nuances. Assim, o maior número de compradores de ovos nesses segmentos pertence à classe A/B, e sua família é composta por um casal com crianças e/ou pré-adolescentes (compradores de ovos industrializados) ou um casal com filhos adultos (frequentadores das chocolaterias).

No caso dos ovos caseiros, que têm custo menor, o público principal pertence à classe C, cuja família é constituída em sua maioria por um casal com crianças.

Fonte: Kantar Worldpanel


Nota da Editora

Precisa de mais dados ou quer entrevistar nossos especialistas? Entre em contato com a nossa editora.

Para ficar informado sobre novos dados e informações, assine a newsletter ou acompanhe a Kantar no Twitter, no Facebook ou no Linked In.

Quer utilizar o nosso gráfico em sua publicação? Basta clicar no símbolo </> EMBED no rodapé do gráfico e copiar o código para incorporar no seu site.

Últimas Notícias

Com mais de 1,3 milhão de inscritos, Flamengo se torna líder em curtidas no Facebook entre os clubes brasileiros

Minimercados, voltados para compras que visam praticidade, vão ganhar espaço nos próximos anos

Até o momento, Brasil já soma ao menos 71 leões no Festival de Criatividade de Cannes

Confira dados do painel ComTech da Kantar Worldpanel

48% geralmente compram o que não (realmente) precisam, versus 34% dos consumidores hétero

Leia também