Brasil Insights

Decifra-me ou te devoro (o mundo de DataViz)

João Koepke

Design & Marketing

Kantar 08.08.2019 / 00:00

DataViz

Na era da informação, a dificuldade de entender a quantidade de dados à nossa disposição pode acabar nos devorando

Na era da informação, a dificuldade de entender a quantidade de dados que temos à nossa disposição pode acabar nos devorando. A Kantar é líder global em dados, mas sabemos que não somos a única empresa a gerar diariamente uma infinidade de pontos de dados, mais que isso, somos uma empresa de insights e consultoria, que entende como as pessoas pensam, sentem, compram, compartilham, escolhem e veem, dedicada em decifrar o que realmente fará diferença para o negócio dos nossos clientes e entregar muito mais que dados, mas a compreensão desse universo.

Além de todo o universo de Data Services e Analytics,a a Kantar ainda conta com uma área de Data Vizualization, que chamamos internamente de Creative Services, um grupo de designers dedicados a amplificar a qualidade visual nas entregas que geramos para nossos clientes. Mais que “deixar bonito”, sabemos que a qualidade percebida na entrega de dados está diretamente ligada à compreensão da informação que estamos transmitindo.

A “arte” da visualização de dados, também tem base na ciência, na semiótica e no entendimento dos nossos desafios psicológicos como seres humanos. Recursos como agrupamento, associação e engajamento emocional são fundamentais para superar os obstáculos mentais e fazer com que o maior número de informações seja absorvido e compreendido pelo receptor.

Mecanismos que ajudam na compreensão visual

Uma das funções naturais do cérebro é o agrupamento: para dar sentido a este mundo complexo, o cérebro automaticamente encontra maneiras de agrupar coisas, então conectar ideias ajuda a audiência a entender melhor um cenário maior.

A memória trabalha melhor fazendo associações de novos conceitos e conteúdos com o repertório que cada individuo constrói em sua vida, logo, desenvolver a visualização de dados considerando o público-alvo e fazendo analogias corretas facilita a construção do raciocínio necessário para a compreensão do conteúdo.

Outro fator importante que precisa ser considerado no desenvolvimento de DataViz é o processamento ativo ligado ao sentimento emocional que o cérebro faz constantemente. É impossível lembrarmos de tudo que vemos ou ouvimos, logo tendemos a lembrar e nos atentar a coisas que se conectam conosco e nossa experiência pessoal. Assim, para capturar a atenção da audiência precisamos fazer referencias às necessidades do público para conseguir engajá-lo emocionalmente, mantendo assim as informações que realmente importam em suas memórias.

Saber onde e como esses dados serão apresentados é importante também na hora de escolher um formato. O time de Creative Services explora uma diversidade de opções, entre apresentações, infográficos e vídeos, cada um atendendo ao seu propósito e abordagens específicas.

Vídeos, por exemplo, são mais dinâmicos, entretêm e geram maior engajamento; apresentações são mais profundas, exploratórias e possibilitam interatividade com o publico; já os infográficos são rápidos e precisos em entregar as informações mais relevantes e servem de suporte para consultas rápidas.

Vivemos em um mundo complexo e a simplicidade é chave para ampliar o conhecimento digerido em diversas camadas de análises de dados, grande parte feita de forma automatizada. A visualização de dados faz esse papel de forma mais humana, levando em consideração não só a complexidade dos dados, mas a complexidade e limitações do cérebro para absorver essas informações.

Fonte: Kantar

Últimas Notícias

Com mais de 21 milhões de inserções, o semestre apresenta crescimento de 7%

45% das famílias usam o método para compras de FMCG na América Latina

O NeedScope analisou pais como Ned Stark de Game of Thrones e Ross Geller de Friends

Na era da informação, a dificuldade de entender a quantidade de dados à nossa disposição pode acabar nos devorando

A instabilidade política e econômica continua impactando a performance das categorias de consumo massivo

Leia também