Brasil Insights

Comportamento de consumo: Classe C prioriza os básicos

Christine Pereira

Business & Marketing Director

Consumo e Negócios 07.12.2017 / 11:00

classe-c-prioriza-os-basicos

Racionalização e seletividade vão entrar no carrinho

Símbolo máximo da bonança econômica, a classe C não é mais sinônimo de explosão de consumo. Mesmo apostando na racionalização e na seletividade na hora de eleger os produtos que vão entrar no carrinho, essa parcela da população ainda se destaca. De acordo com dados apurados pela Kantar Worldpanel, levando em conta 96 categorias, enquanto o volume de consumo total teve um aumento de 1,5% em toneladas, a classe C, sozinha, registrou alta de 3,1% nos últimos doze meses terminados em junho de 2017.

A análise de volume das cestas também revela a força do estrato social em comparação ao resto da população. Destaque para limpeza com 10,1% de crescimento (versus 8,3% nas demais classes), higiene e beleza (5,5% versus 4,5%) e bebidas (3,9% versus 2,3%). Alimentos, que no total apresentou queda de 0,4%, atingiu 1,3% de alta na classe C.

O grande avanço de compradores das categorias na classe C, assim como para o total da população, ocorreu de 2009 a 2014. A partir de 2015, o crescimento desacelerou, e algumas categorias perderam penetração Entre aquelas que seguem se destacando em penetração na classe C estão azeite, requeijão, molho para salada, catchup e cereal tradicional.

Fonte: Kantar Worldpanel

Nota do Editor

Quer saber mais sobre os hábitos de consumo da Classe C? Entre em contato com a Kantar Worldpanel.

Últimas Notícias

CX é um motor para o crescimento, não apenas uma palavra da moda.

Um mergulho em duas décadas de história revelam transformações no consumo, na forma de comunicação e nas características da sociedade brasileira

Confira o Getting Media Right: Marketing in Motion e conheça os principais desafios dos profissionais

Estereótipo do gênero feminino como responsável pelas compras do lar não é fundamentado nesse canal

Batom faz parte do kit de maquiagem de 98% das mulheres com mais de 55 anos

Leia também