Brasil Insights

Para não estourar orçamento, latinos se transformam em “malabaristas”

Virginia Garavaglia

Diretora de Marketing

Consumo e Negócios 03.10.2017 / 08:00

carrinho-de-compras-economia-crise_small

Conclusões são do estudo Consumer Watch da Kantar Worldpanel

Há mais de dez anos o estudo Consumer Watch averigua a percepção do consumidor latino nas principais cidades de 15 países da América Latina e neste ano predomina um cenário de pessimismo ou de aperto dos cintos para a maioria das famílias. Assim, para fazer render seu dinheiro, o comprador latino-americano se transformou em um “consumidor malabarista”.

Mas o que está por trás do pessimismo das famílias? Em primeiro lugar, houve uma forte desaceleração no crescimento do consumo na América Latina, que, nos últimos sete anos, baixou de 7% para 2%. Na região, apenas os países da América Central e o México conseguiram aumentar seus níveis de consumo no mesmo período. Entretanto, uma tendência geral é que, ainda que os lares consumam menos, eles estão ampliando seus gastos com a cesta básica em 10%.

Em termos de percepção, 65% dos entrevistados sentem que a situação econômica de seu país está pior do que em 2016 – e entre eles se destacam Venezuela, México e Colômbia. Em contrapartida, Bolívia, Chile e Peru são os que enxergam uma melhora no panorama econômico local. 



Kantar
  • SAVE
  • Close

    SHARE THIS WITH FRIENDS

  • EMBED
    Close

Ainda que a insegurança continue sendo a principal preocupação dos latinos (57%), nos últimos cinco anos a menção a esse fator caiu de maneira significativa, com exceção do México, onde, na realidade, cresceu.

A inflação é a segunda questão mais recorrente entre os latinos, e os venezuelanos, mexicanos e argentinos são os mais afetados por ela.

As famílias sentem uma crise em seu país?

Segundo o estudo, 86% dos latinos percebem um momento de crise econômica em seu país, sendo Venezuela, Brasil, México, Colômbia e Equador as nações nas quais mais famílias notam essa situação, sendo que 70% deles acreditam que a crise afeta diretamente seu lar.

Os latinos enfrentam os preços mais altos e uma menor entrada de dinheiro com mais pressão sobre o gerenciamento dos gastos da família. Nesse contexto, as donas de casa desempenham um papel fundamental no cuidado com os gastos familiares: 86% delas se sentem comprometidas com suas compras, já que, além de cuidar de suas próprias finanças, cuidam também das de sua família.

A principal meta para 58% das latinas é gastar menos ou não ultrapassar o orçamento de que dispõem. Para isso, adquirem produtos mais baratos ou de marcas próprias dos estabelecimentos em que fazem compras. Entretanto, 29% gasta mais do que o estabelecido.

Os gastos chegam a exceder o orçamento porque, na hora das compras, se encontra uma série de promoções ou produtos mais baratos ou porque esses estão custando mais do que o esperado. Sem dúvida, algo que une os latinos é a busca por fazer render seu dinheiro sem descuidar da família.

Fonte: Kantar Worldpanel

Últimas Notícias

A Kantar avaliou o equity de várias marcas para entender o cenário atual e o que diferencia aquelas que mais crescem

Marca de Jeff Bezos ultrapassa a Apple e aumenta o seu valor de marca em 52%

As fronteiras entre a tecnologia, as pessoas e o entorno estão cada vez menos visíveis. Isso muda por completo a forma como as marcas se comunicam

Varejo e bancos impulsionam o crescimento do valor total das marcas mais valiosas do ano

Banco investiu em soluções tecnológicas e experiência do cliente para crescer 35% e chegar ao topo; Google leva o prêmio de marca mais forte e Magazine Luíza, a com maior crescimento

Leia também