Brasil Insights

Atraso nas reformas políticas e incertezas impactaram o consumo

Giovanna Fischer

Marketing and Consumer Insights Director

Consumo e Negócios 25.04.2019 / 00:00

Supermarket

A perspectiva de otimismo que começou a ser desenhada no segundo semestre de 2018 não conseguiu se manter nos primeiros momentos de 2019.

A perspectiva de otimismo que começou a ser desenhada no segundo semestre de 2018 não conseguiu se manter nos primeiros momentos de 2019. Com a taxa de desemprego em alta – atingindo mais de 13 milhões de pessoas -, e o atraso na aprovação das reformas políticas, o consumo apresentou desempenho negativo em fevereiro. É o que aponta o Consumer Thermometer, elaborado pela Kantar. De acordo com o estudo, nos 12 meses terminados em fevereiro de 2019 houve queda de 1,3% nas unidades levadas para casa pelos brasileiros na comparação com o mesmo período do ano anterior. Isso ocorre como consequência de uma redução de 0,5% na frequência de compras e 3,3% no volume médio levado por visita.

Quando analisado o acumulado do ano (janeiro + fevereiro), o declínio de unidades chega a 5,2% versus os mesmos meses de 2018. Frequência e volume por viagem também se destacaram negativamente, com diminuição de, respectivamente 2,2% e 5,7% no período. No recorte dos três meses até fevereiro de 2019, os índices negativos se repetem. 

Consumer T_1 2019

O recuo em unidades foi sentido em todas as classes sociais e também em todas as regiões do país, segundo demonstra o levantamento. A totalidade dos períodos analisados apresentou queda para a classe AB e C. Apenas a DE conseguiu um ligeiro aumento de 1,6% nos 12 meses terminados em fevereiro na comparação com o mesmo período do ano anterior. Na análise das regiões, o Interior de São Paulo se destacou negativamente, perdendo 10,3% nos dois primeiros meses do ano. 

Consumer T_2 2019

Em relação aos canais, o atacarejo seguiu firme e forte como o grande destaque, com o porta a porta perdendo grande participação. Hipermercados, supermercado de conveniência e supermercado de vizinhança também acumularam quedas.

Consumer T_3 2019

Na análise das cestas, o Consumer Thermometer aponta que alimentos, bebidas, lácteos, limpeza e higiene e beleza perderam penetração em todos os recortes estudados.

Consumer T_4 2019

“O cenário atual tem como protagonista um consumidor que, ainda em meio às incertezas políticas e econômicas e ainda impactado pela alta taxa desemprego, precisou retrair as compras. E isso não ocorreu apenas nas classes mais baixas, sendo sentida por todas as camadas da população”, analisa Giovanna Fischer, Diretora de Marketing e Insights da Kantar. “Além diso, os consumidores continuam endividados, o que afeta ainda mais o potencial de consumo”.

Fonte: Kantar

Nota do Editor

Os dados são do Worldpanel FMCG, que monitora os hábitos e comportamento de compra de consumidores e shoppers em todo o Brasil.

Últimas Notícias

Mobilidade urbana e influência do digital são alguns dos fatores que contribuíram para a revolução do OOH

Parece até loucura querer juntar dois temas de épocas tão distantes

Levantamento inédito da Kantar feito em 14 países avalia comportamento de compra online pela ótica de três determinantes: dinheiro, tempo e energia

Mercado estável e de soma zero traz diferentes desafios e nova visão sobre a concorrência para as marcas

Leia também