Brasil Insights

Novembro Azul: Diagnóstico precoce tem altas chances de cura

Priscylla Almeida

jornalista

Saúde e Esporte 17.11.2016 / 06:00

doctor-patient-hospital-doutor-paciente-hospital

Se descoberto logo, câncer de próstata tem prognóstico bastante positivo

Comparados com as mulheres, os homens têm uma dieta menos balanceada, praticam menos exercícios, fumam mais e vão menos ao médico, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE) e a pesquisa Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). A consequência dessas atitudes é que os homens têm mais problemas de saúde e vivem menos.

Durante o mês de novembro, as campanhas do Novembro Azul se esmeram em alertar não apenas sobre a prevenção ao câncer de próstata, mas também convidar os homens a cuidarem mais da própria saúde de uma maneira geral, desde a alimentação e prática de atividades físicas até às consultas regulares, como checagem de níveis de glicemia ou pressão arterial.

“Quando falamos em prevenção é necessário destacarmos que algumas medidas preventivas são facilmente aplicáveis, como mudanças em hábitos de vida. É importante manter a prática de atividades físicas e uma alimentação rica em vegetais e pobre em gorduras”, destaca o oncologista Luciano Paladini, médico analista da Evidências – Kantar Health.

A boa notícia é que o câncer de próstata, se diagnosticado precocemente, tem grandes chances de cura, com taxas em torno de 90% a 95% de cura. “A maior parte dos pacientes com câncer de próstata não vai morrer por causa da patologia. Então, a conversa sobre prognóstico, que é difícil em alguns tipos de câncer (como pulmão ou estômago), é mais tranquila quando se trata do câncer de próstata”, declara Paladini. “A maior dificuldade é lidar com os eventos adversos relacionados ao tratamento, especialmente quanto ao risco de disfunção erétil (que ocorre em cerca de 30% nos casos tratados com cirurgia, em cerca de 20-30% nos casos tratados com radioterapia e eventualmente todos os homens tratados com bloqueio hormonal). Mas é pouco comum que um paciente chegue ao ponto de se recusar a fazer o tratamento indicado por causa deste risco”, explica o oncologista.

Fonte: Kantar Health

Nota da Editora

Esse artigo faz parte da série Novembro Azul, que foca em cuidados da saúde masculina. Veja também a série Outubro Rosa, que destaca assuntos relacionados à prevenção e tratamento do câncer de mama.

Jornalista, se precisar de mais dados ou se quiser entrevistar algum dos nossos especialistas, por favor, entre em contato conosco.

Você também pode receber nossas novidades através da nossa newsletter, ou acompanhando nossas postagens no Twitter, no Facebook ou na nossa página no Linked In.

Últimas Notícias

Dentro ou fora de casa, 24 horas por dia, 7 dias por semana

Cai busca por alisamentos dos fios e mulheres se mostram mais felizes com cabelos ao natural

Enquanto isso, a chinesa Xiaomi chega ao mercado europeu

Consumidores mais conectados e engajados demandam maior integração na indústria

Fenômeno das ‘notícias falsas’ afetou a reputação das mídias sociais como fontes de informação

Leia também