Brasil Insights

Tratamentos de câncer: quais são os custos para as operadoras de saúde privadas?

Saúde e Esporte 13.09.2017 / 13:00

medicina-medicamentos-tratamentos

A Kantar Health participa do congresso ISPOR e mostra os desafios do tratamento oncológico no sistema de saúde privado no Brasil

Avaliar o perfil de tratamentos não autorizados para pacientes com câncer e o uso do medicamento bevacizumab no sistema privado de saúde no Brasil. Estes são os temas de dois dos trabalhos que serão apresentados na International Society For Pharmacoeconomics and Outcomes Research (ISPOR) Latam. A edição desse ano será realizada na cidade de São Paulo (BR), nos dias 15 a 17 de setembro. A reunião anual da ISPOR é um dos mais importantes canais de divulgação científica sobre farmacoeconomia e pesquisa de resultados.

O estudo “Unrecommended oncologic treatments: how much do they cost and how can we prevent resource waste?” é de autoria do departamento de Medical Intelligence da Kantar Health e avaliou o perfil de tratamentos oncológicos que tiveram a aprovação negada pelas operadoras de saúde e o impacto econômico que teriam tido para a sistema de saúde privada no Brasil.

Pacientes que sofrem de câncer no país e que realizam o tratamento no sistema privado de saúde têm seus pedidos de medicamentos antineoplásicos - ou seja, medicamentos que ajudam na inibição do crescimento de tumores - avaliados pelas operadoras de saúde antes de aprovar ou negar sua cobertura. O uso destes antineoplásicos representa uma grande parte dos orçamentos dos sistemas de saúde público e privado.  

Já o estudo “Bevacizumab for breast cancer: scientific evidence versus real world data (RWD) in Brazil” avaliou através de dados do mundo real a prescrição e o custo do medicamentobevacizumabpara pacientes com câncer de mama avançado no sistema de saúde privada no Brasil.

Ambos os estudos foram realizados com base no Auditron, o banco de dados de requisições médicas da Kantar Health, que abrange 3 milhões de vidas e 54 operadoras de saúde no Brasil, representando aproximadamente 7% do Mercado privado de saúde.  

ISPOR no Brasil

Será a terceira vez que a conferência da ISPOR é realizada no Brasil, o que é determinante para chamar a atenção sobre o cenário do sistema de saúde do país e sua contribuição para a pesquisa científica no mundo. Ter a ISPOR em solo nacional traz a oportunidade de fazer uma discussão local sobre os processos de incorporação de novas tecnologias, tanto no Brasil quanto na América Latina.

A Kantar Health tem uma participação ativa nas edições ISPOR. Dos 21 resumos submetidos ao ISPOR Latam, todos foram aceitos. Dezesseis tornaram-se pôsteres e dois serão apresentados oralmente. Além disso, a empresa também abrirá um painel sobre estudos do mundo real e políticas de saúde pública em mercados emergentes: necessidades e desafios.

Fonte: Kantar Health

Nota da Editora

O conteúdo completo destes estudos será disponibilizado online no site da Kantar Health após o ISPOR.

Confira nos links abaixo os descritivos dos principais estudos apresentados na ISPOR 2017:

- O cenário e as principais barreiras dos estudos de mundo real em países emergentes
A intensidade da dor nos pacientes com câncer no Brasil
Variação de materiais utilizados em cirurgias ortognáticas
Perfil do paciente com câncer
Custo-eficácia de dois medicamentos para dor crônica
Analise da divulgação sobre câncer de mama nas mídias sociais
Como o governo brasileiro cuida das crianças com microcefalia?
Os custos da obesidade e hábitos alimentares na saúde privada brasileira
Mudanças de tratamento de Mieloma Múltiplo
Tratamento para Linfoma de Hodgkin

A ISPOR é uma organização pública sem fins lucrativos para propósitos educacionais e científicos. Ela objetiva promover a ciência da farmacoeconomia e a pesquisa de resultados e facilitar a tradução destas investigações em informações úteis para os tomadores de decisão na área de cuidados à saúde. A ISPOR tem mais de 9.500 membros em 114 países, além de 62 capítulos regionais com mais de 4.800 membros. A sociedade promove três encontros anualmente, realizados na América do Norte, na Europa e na América Latina ou Ásia.

Últimas Notícias

Dentro ou fora de casa, 24 horas por dia, 7 dias por semana

Cai busca por alisamentos dos fios e mulheres se mostram mais felizes com cabelos ao natural

Enquanto isso, a chinesa Xiaomi chega ao mercado europeu

Consumidores mais conectados e engajados demandam maior integração na indústria

Fenômeno das ‘notícias falsas’ afetou a reputação das mídias sociais como fontes de informação

Leia também