Brasil Insights

Flamengo diminui ritmo de crescimento nas redes sociais

José Colagrossi

Diretor executivo

Saúde e Esporte 06.11.2017 / 15:00

2017-goleiro-futebol-ranking-digital-ibope-repucom

Confira dados do ranking digital dos clubes brasileiros de novembro de 2017, realizado pelo IBOPE Repucom

O clube carioca incorporou 104 mil novas inscrições em relação ao mês anterior, seu menor volume mensal em 2017. Em contrapartida, o Flamengo viu sua vantagem para o vice-líder Corinthians aumentar de 35 mil para 48 mil inscrições – o clube paulista também obteve um crescimento menor que o habitual em 2017. Comparado ao levantamento anterior, o Corinthians somou 92 mil novas inscrições em suas redes, o terceiro pior desempenho mensal do clube no ano, superior apenas ao desempenho dos meses de junho e julho, onde somou 85 mil e 73 mil novas inscrições respectivamente.

Outro protagonista do levantamento atual é o São Paulo Futebol Clube. O tricolor paulista registrou 94 mil novos inscritos, o segundo maior volume do Brasil em outubro. Os paulistas cresceram apenas dez mil a menos que o Flamengo e acima do rival Corinthians, atual líder do campeonato.

O Ceará é outro destaque no volume de crescimento ao somar 30,5 mil inscritos em suas redes sociais, volume superior ao Santos FC, atual integrante do top 5. O “Vôzão” obteve o maior volume de crescimento entre os clubes fora do top 10, e o maior número de novos inscritos entre os times da série B. O clube também registrou a terceira maior taxa de crescimento entre todos os clubes monitorados (2,91%).

O Grêmio, atual finalista da Copa Libertadores da América, viu sua diferença para a Chapecoense crescer 40% e já apresenta 240 mil inscritos de diferença para a 7ª colocada. 2017 tem um sido um período favorável para o clube gaúcho que, desde janeiro, somou 665 mil novos inscritos, e vê a diferença para o rival Internacional alcançar 1,8 milhão, 20% superior à diferença de janeiro deste ano.

Já a Chapecoense registrou queda pelo segundo mês consecutivo no volume combinado de suas redes sociais. Em novembro, a Chape registrou perda de inscritos em suas contas no Facebook, Twitter e Instagram.

O Paraná Clube obteve destaque pelo segundo mês consecutivo. No levantamento atual, o clube paranaense obteve uma taxa de 6% de crescimento, a maior entre todos os clubes monitorados. Tal crescimento fez o clube aumentar sua diferença para o Red Bull Brasil, e se consolidar na 34ª posição no ranking.

O ranking deste mês tem um novo integrante. O Vila Nova registrou crescimento de cerca de 8 mil inscritos e ultrapassou o Audax-SP. O Audax, por sua vez, não possui conta no Twitter e não informa publicamente o volume de inscritos em seu canal no YouTube, fatores que certamente o fizeram perder posições no ranking.

O IBOPE Repucom monitora os 20 clubes presentes na Série A do Campeonato Brasileiro e os 20 maiores clubes entre as séries B, C e D. Com base nesses critérios, o Audax-SP deixa de figurar no ranking, até que ultrapasse o Vila Nova em volume de seguidores. O Atlético Goianiense constará no ranking pois atualmente está na Série A.

Veja abaixo o levantamento completo de novembro de 2017:

RK-MÍDIAS-SOCIAIS-CLUBES-NOVEMBRO11-2017

Fonte: IBOPE Repucom

Nota da Editora

O levantamento é divulgado mensalmente pelo IBOPE Repucom e tem o objetivo de acompanhar o desenvolvimento das bases digitais dos 40 clubes com o maior número de seguidores do país.

Veja também os rankings dos meses anteriores

Últimas Notícias

Confira as descobertas de uma análise conduzida pela Kantar, nos Estados Unidos, sobre a situação da tecnologia na saúde.

Experiência, imediatismo, influência, autenticidade, nicho e credibilidade na jornada de compra na Terceira era do Consumo

Como a nova era do consumo impacta os rumos do mundo conectado? Essa é a E.R.A de experiências, relacionamentos e algoritmos

Os Centennials representam 32% da população brasileira e estão se tornando uma potência econômica com influência crescente nos gastos e na fidelidade às marcas

Apesar do resultado superficial para o iOS não impressionar, o iPhone top de linha foi o mais vendido do mercado britânico

Leia também